quinta-feira, fevereiro 23, 2017

Os lugares dos jogadores – Miguel Rosa

Hoje é normal classificar os jogadores através de números. Dou um exemplo: - assim diz-se que um jogador é um oito ou um seis mas que também pode fazer outro lugar, etc. Os alas são alas e não interessa muito para esta classificação se são extremos esquerdos ou direitos, sendo que a designação de extremo caiu em desuso. Encurtando razões a verdade é que existem muitos jogadores que não cabem nestas baias e não é raro que sejam eles, com a ajuda do treinador, a definir as suas funções dentro de campo.

Seleccionei para hoje o caso de Miguel Rosa, um jogador acima da média, que sente a camisola, mas que infelizmente ainda não rendeu aquilo que poderia render. É a minha opinião evidentemente. E antes de acrescentar o que quer que seja, peço a vossa atenção para o golo que marcou ao Vitória de Guimarães! Se bem se lembram, Miguel Rosa veio ao lado direito do ataque do Belenenses (estava a jogar na ala esquerda) para marcar um livre. Um livre já perto da área adversária, mas descaído para a linha lateral. Miguel Rosa optou (e bem) por um cruzamento sendo que a bola foi rechaçada pela defensiva vimaranense para a zona de meio campo. Aí surgiu, oportuno, Vítor Gomes que a devolveu de cabeça para o flanco direito do nosso ataque onde ainda permanecia Miguel Rosa. Este, atento e com o faro do golo, arrancou ao encontro da bola e rematou (de pé direito) para o fundo da baliza. Estava feito o empate.

Ora bem, eu daqui tiro várias conclusões: - a primeira é que Miguel Rosa tem que jogar nas imediações da área, ponta de lança, falso ponta de lança, segundo ponta de lança, o que lhe queiram chamar, pois só nesse lugar pode tirar partido da sua propensão irresistível para o remate. A outra conclusão que podemos retirar é que aquele golo se a jogada acontecesse do lado contrário não seria golo. Miguel Rosa é um dextro muito vincado e para remates colocados tem sempre que puxar a bola para o lado direito. E na situação não haveria tempo nem espaço para tal. Entretanto podia perguntar-se se não seria possível jogar na ala direita, ou até mais recuado, na construção de jogo?! Na construção de jogo é impossível porque estamos a falar de um finalizador e não de um construtor. Miguel Rosa joga muito de memória, não levanta a cabeça, tem por isso pouca visão periférica, em suma não é um armador de jogo. Só pensa na baliza. Quanto à hipótese de jogar na ala direita ela esbarra no facto de não ter um sprint longo. Tem um bom arranque, como é próprio dos jogadores de área, mas não é um ciclista. Além de que quando se tem um jogador com apetência goleadora é um desperdício coloca-lo a jogar longe da área adversária. E termino dizendo o seguinte: - Miguel Rosa tem que valer por época mais de dez golos e não os números miseráveis que tem apresentado.



Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home