quarta-feira, agosto 30, 2017

Vamos por partes…

(O polvo encarnado)

Segundo rezam as crónicas há mais um árbitro na órbita do Benfica, chama-se Bruno Paixão e usava o facebook para comunicar com o ‘filho querido’ da nação encarnada! E como ninguém veio contestar a denúncia tenho que admitir que é verdadeira aumentando assim a onda de suspeição que se abate sobre o futebol português. Há aqui no entanto algumas obscuridades que convêm ser clarificadas. É visível que o Bruno Paixão de 2017 já não é o mesmo que arbitrou um célebre jogo em Campo Maior onde o Porto foi fortemente prejudicado. E já nem será o mesmo que se escondia no facebook. O mundo dá muitas voltas! E numa dessas voltas o presidente do Porto também terá mudado. Ou então terá sido enganado?! E a não ser que alguém me explique o sentido daquela visita a Évora vou continuar a ter dúvidas. Com efeito, ir visitar o grande artífice da actual hegemonia do Benfica, hegemonia que se fez à custa do jejum do Porto no que toca a títulos, há aqui alguma coisa que não bate certo. Eu sei que tudo isto pode parecer estranho, confuso, mas tudo tem uma explicação e a minha explicação é esta: - um homem que consegue ter os bancos (todos) na mão e a comunicação social (toda) no bolso, consegue enganar o mais pintado! E a este homem todos lhe devem favores. E mais não digo.

(Eliseu)

O caso Eliseu foi arquivado á luz do nacional benfiquismo e não deixa de ser bem feito para todos aqueles que se escondem atrás das suas inferioridades. O Gomes da Federação anda escondido atrás da selecção do Ronaldo e tentou com o vídeo árbitro cortar os tentáculos do polvo sem aleijar o polvo e sem se aleijar a ele. É evidente que não é assim que se resolvem as coisas pois tal como temíamos o polvo controla o vídeo árbitro com a mesma facilidade com que evidencia a inutilidade do Conselho de Justiça da Federação. Se só serve para castigar dirigentes e árbitros que dizem nomes feios aos jogadores, podem ir todos para casa.
O Proença da Liga, já se sabia, não tem perfil nem condições para se impor aos clubes, nomeadamente aos grandes, impondo medidas que corrijam a batota e as gritantes desigualdades de tratamento entre os vários emblemas. A centralização dos direitos televisivos continua em banho maria e a satelização dos clubes portugueses não pára. Assim, o campeonato é uma mentira e serve apenas para infantilizar a população.

(Governo e seus institutos)

Secretaria de Estado do Desporto ou Instituto Português da Juventude e Desporto são siglas (há mais) que não correspondem a nada de concreto! Sendo permitida uma imagem futebolística, diríamos que estão lesionados há muito tempo! Não contam para a equipa. E o futebol não pode contar com eles.

(Mercado de transferências)

Andric - É um jovem avançado, é nosso, tem margem de progressão, nunca percebi porque é que o despachámos. Os que cá ficaram não marcaram mais golos! Os bons treinadores servem para potenciar qualidades dos jogadores e se Andric já foi uma promessa pode talvez, um dia, tornar-se uma certeza. Precisa é de oportunidades. Além de que não vejo a SAD com capacidades para ir buscar um homem golo uma vez que estes jogadores estão muito valorizados. Por exemplo, não me importava nada de ter o Welthon que entretanto parece que vai para Guimarães.  Por outro lado insistir em rodar jovens jogadores de outros clubes (Gelson Dala!) é insistir no erro.

Bakic - Já conhece a casa e deu-se bem, o que é sempre positivo. Mas é evidente que o Braga não está disposto a pagar-nos o ordenado.




Saudações azuis

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home