sábado, setembro 09, 2017

Há VAR e VAR…

Ao fim de cinco jornadas já se percebeu que o VAR embora centralizado na ‘cidade do futebol’, não tem critérios uniformes, não é o mesmo quando arbitra (ou decide) sobre grandes e pequenos. Se calhar nem foi para isso que foi implementado. Tenho as minhas teses, já as expus neste espaço, e os factos vão-me dando razão.

Mas o VAR também não é o mesmo quando decide sobre os três ‘grandes’! Há diferenças. Uma delas já a tinha antecipado e prende-se com o facto de haver dois operadores diferentes a fornecer quer as imagens quer tudo o que envolve uma transmissão televisiva. Enquanto a Benfica TV é responsável pelas transmissões dos jogos do Benfica quando este joga em casa, a Sport TV transmite todos os outros jogos. E esta diferença nestes cinco jogos já vai fazendo alguma diferença…

Lembro a agressão do Eliseu que o vídeo árbitro não captou, pelo menos é essa a conclusão que podemos tirar da justificação de Vasco Santos e que foi tornada pública. Diz ele que de acordo com as imagens disponibilizadas não viu qualquer agressão e por isso não viu motivos para alertar o árbitro de campo!

Lembro o golo mal anulado ao ataque do Braga e a confusão que se gerou num primeiro visionamento que não mostrava um jogador encarnado (Séferovitch) a pôr o avançado bracarense em jogo!

E para não irmos mais longe tivemos agora um golo anulado ao Portimonense, por fora de jogo milimétrico, e com a linha virtual a fazer prova. Linha virtual que como todos sabemos não se tem mostrado muito fiável noutras ocasiões.

São três exemplos, existem muitos mais, que levantam dúvidas, dúvidas sobre a qualidade das transmissões, da respectiva envolvente, dúvidas que alimentam suspeitas, suspeitas que envenenam o desempenho do vídeo árbitro. E a solução para estas dúvidas é só uma e passa pelo controlo total das transmissões por parte da Liga ou da Federação.*

E quando digo total, incluo nesse total os comentadores de turno pois não tenho dúvidas que em primeira análise são eles que impulsionam, ou não, a repetição de alguns lances. Denunciei isso no último post ainda a propósito do Benfica-Belenenses e de um lance na área encarnada que terá deixado dúvidas. Domingos Paciência queixou-se e alertou para o que se passa na Bélgica onde esta dualidade de critérios, para não lhe chamar outra coisa, levou à suspensão do vídeo árbitro. Do que não temos dúvidas é que se o lance fosse ao contrário e pudesse beneficiar o Benfica teria merecido por certo milhares de repetições! Aliás do mesmo se queixou agora Vítor Oliveira treinador do Portimonense quando apontou para a pouca importância que merece a chamada verdade desportiva quando estão em causa lances cuja decisão arbitral possa beneficiar os clubes mais pequenos.


Saudações azuis



·      *O controlo por parte da Liga ou da Federação não vai resolver o problema dos árbitros ou vídeo árbitros que temos. Eles continuarão lá e a fazer das suas. Mas pelo menos passa a haver alguma garantia de que as imagens (e os comentários) serão mais uniformes. Iguais para todos já é pedir muito.

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home