quarta-feira, outubro 25, 2017

E sobre corrupção… disse nada!

O presidente da selecção (que também é presidente da federação) foi ao parlamento explicar aos deputados o seu desabafo sobre o clima de ódio que se vive no futebol português. E defendeu os árbitros, primeiras vítimas daquele clima. As medidas que propôs para erradicar o ódio e proteger os árbitros são quatro e visam apenas reprimir! Não há uma medida que tenha em conta as causas da suspeição e por conseguinte do ódio instalado. É caso para dizer que esteve igual a si próprio.

A desigualdade cada vez maior entre os chamados três grandes e os restantes emblemas não o incomoda e por isso não propôs nada para a corrigir! Não se lembrou da centralização dos direitos televisivos e de uma distribuição mais equitativa das respectivas receitas!

A dependência cada vez maior dos clubes pequenos em relação aos grandes não o preocupa e por isso não propôs nenhuma medida que limitasse o número de jogadores que cada clube pode ter na sua esfera patrimonial!

E falemos por fim da arbitragem onde todos concordam que a defesa dos árbitros é essencial. Estranhamos por isso que das quatro medidas que propôs nenhuma se destine a proteger os árbitros das tentativas de corrupção por parte de alguns clubes! Tentativas que estão na ordem do dia mas que pelos vistos passaram ao lado de Fernando Gomes e do parlamento!

O ódio tem causas, é disso que interessava falar. Propondo ao mesmo tempo medidas que as possam mitigar. Preferiu falar dos efeitos, é mais fácil, mas não serve para nada. A não ser para enganar os que gostam de ser enganados.


Saudações desportivas

xmlns:dc="http://purl.org/dc/elements/1.1/"

<< Home